Churrasco: não chamusque a carne

Churrasco: não chamusque a carne

Algumas modificações simples na forma deasar a churrasqueira ao ar livre, como evitar muita carne vermelha ou processada,bem como para não queimar os alimentos podem ajudar na prevenção do câncer,segundo um especialista do Instituto Americano para a Pesquisa delCáncer.


A gordura visível é debeeliminar da carne, para evitar as chamas


Dois aspectos


Um, a carneroja, de cujo abuso são prevenidas diversos estudos, pois foi demonstrado queaumenta as chances decáncer de cólon, como também, la uvilla processada (hambúrgueres, salsichas e outras carnes frias). Estas carnespueden, em sua maioria, ser substituído por frango, hambúrgueres vegetais ou, descobrimos que, peixe.


Outro, queimar os alimentos, queprovoca a ocorrência de compostos globalmente graves para a saúde:aminas heterocíclicas (HA) e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (APH).


Compostos cancerígenos


As aminas heterocíclicas, ou TEM, se encontram nas partes chamuscados os alimentos ricos em proteínas, como carnes ypescados. Vários estudos levados a cabo em finais dos anos setenta pusieronde manifesto que as partes mais torradas de carnes e peixes asadospresentaban uma actividade mutagénica (susceptível de alterar ou alterar a informação genética) notável devido à presença de umas substanciasbásicas. Atualmente há identificadas 23 de estas substâncias, todos ellaspertenecientes ao grupo genérico de aminas heterocíclicas (HA). Várias deellas são cancerígenas.


Os hidrocarburospolicíclicos aromáticos (APH), que são formados por pirólise, ocombustión de matéria orgânica. Alguns destes compostos são carcinógenosy/ou mutagénicos, bem como possíveis disruptores endócrinos (substâncias químicascapaces de alterar o equilíbrio hormonal). São, também, produto de diferentesprocesos industriais e de combustão.


Que se pega e como se pega


“Dois aspectos lasparrilladas ao ar livre, que se pega e como se pega, podem aumentarpotencialmente o risco de câncer”, alertou em um comunicado de imprensa delAmerican Institute for Cancer Research (AICR), ou InstitutoAmericano para a Pesquisa do Câncer, Alice Bender, nutricionista delinstituto. “Está demonstrado que as dietas que contêm grandes porções decarnes vermelhas e processadas aumentam as chances de câncer colorretal. Laevidencia de que grelhar em si mesmo, seja um fator de risco esmenos firme, mas faz sentido tomar algumas precauções fáceis paraproteger do câncer”, acrescentou.


Tópicos para grelhar com maior segurança



  • Adicione cor (mas não a carne vermelha). Ao reduzir a carne vermelha yasar uma mais ampla variedade de frutas e vegetais coloridos, as personasaumentan a sua ingestão de fitoquímicos. Estes compostos encontram-se em lasplantas e oferecem proteção contra o câncer, disse Bender. Sugeriu asarverduras, como aspargos, cebola, abobrinha, berinjela e milho demaíz. Bender acrescentou que as frutas devem ser assar um ou dois dias antes de queestén maduras do todo, para que retenham a sua textura.

  • Evite a carne processada. Escolha frango ou peixe enlugar de hambúrgueres ou salsichas.

  • Marinar la uvilla reduz a formação de SEMPRE, aconselhou Bender. Marinar as carnesen vinagre, especiarias ou suco de limão até mesmo durante 30 minutos pode serbeneficioso, marcou.

  • Cozinhe levemente a carne,antes. Cozinhar ligeiramente a carne antes de colocá-la na parrillareduce a quantidade de tempo que se expõe ao calor, e reduz a formação deAPH. Bender advertiu que as carnes parcialmente cozidas devem ser transportarde da cozinha para a grade de imediato.

  • Cocinelentamente. Ao assar as carnes lentamente com menos calor, é menosprobable que se queimem ou chamusquen. Bender disse que isto reduz a cantidadde AH e HAP.

Bender acrescentou que a gordura visível sedebe eliminar a carne para evitar as chamas, e que qualquer partechamuscada você também deve remover.